DIVULGAR DESAPARECIDOS-UMA LUTA DE TODOS NÓS!

Mais de 200 mil pessoas desaparecem no Brasil por ano,segundo pesquisa realizada pela ONG Movimento Nacional de Direitos Humanos e Ministério da Justiça(dados de setembro/2009).Deste total,crianças e adolescentes representam 5%.Os motivos do desaparecimento podem ser variados:tráfico de seres humanos,rapto de crianças para adoção ilegal,prostituição e exploração sexual infanto-juvenil.Para a polícia,porém,as causas apontadas acima são minoria.Muitos se perdem ou fogem de casa por causa da violência ou alguma deficiência mental.Ajude a diminuir a dor dessas famílias,divulgando fotos de desaparecidos.Uma luta de todos nós!

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Família de Frutal procura criança desaparecida há mais de três anos


Joseli de Souza Melo, 35 anos, é mãe de seis filhos e vive um drama há três anos. A filha mais nova, Bruna Marques Melo, desapareceu no dia 23 de outubro de 2009, quando tinha quatro anos. A menina brincava na rua da casa dela em Frutal (187 quilômetros de Uberlândia) com o irmão gêmeo e outras três crianças. A mãe conta que no momento passava um carro de som anunciando a chegada de um circo à cidade e que as crianças ganharam convite para assistir ao espetáculo.

Empolgados, o irmão e as três crianças entraram na casa e mostraram os convites. 

Bruna Melo foi a única que não entrou. Joseli Melo conta que naquele momento foi para a porta de casa dela para buscar a filha, mas encontrou apenas a bicicleta que ela brincava. “Quando vi aquela bicicleta jogada embaixo de uma árvore, senti que minha filha estava em apuros”.
Bruna Melo tinha quatro anos quando desapareceu
A mãe conta que no dia pediu ajuda para toda a vizinhança e cerca de 80 pessoas procuraram a menina por toda a cidade. “Uma pessoa viu um carro preto parando aqui na rua e a chamando para dentro”, disse. Depois disso, Joseli Melo e o marido Márcio Marques da Silva receberam denúncias de várias partes do país de onde estaria a criança, mas ela nunca foi encontrada. “Todos os dias eu peço a Deus para que ele me ajude a achá-la”.

O delegado responsável pela investigação do caso, Cleyson Rodrigo Preme, informou que o inquérito de buscas pela criança foi instaurado dois dias após o desaparecimento e todas as denúncias que chegaram à Delegacia de Polícia Civil foram apuradas. “Fomos ao Mato Grosso, Bolívia, Rondônia e São Paulo. Fizemos rastreamento e interceptação telefônica, mas não temos pistas da criança”.

A mãe acredita que a criança tenha sido levada por uma família de ciganos, que estava acampada próximo ao local onde estava instalado o circo. “Nós fomos ao circo e o seguimos por um tempo, mas não achamos a Bruna. Por isso, acredito que ela esteja com esse pessoal (ciganos)”.

A reportagem tentou contato com os donos do circo Fox Circos, mas ninguém foi encontrado. Na época do desaparecimento, os proprietários, segundo o delegado, prestaram depoimento e negaram envolvimento no caso. “Não localizamos a criança lá”.
O delegado informou que não descarta nenhuma hipótese. “As investigações ainda não foram finalizadas, mas estamos na fase de que só daremos seguimento quando recebermos alguma denúncia. Nós não temos mais pistas”.

A última denúncia que a mãe recebeu informava que a filha estava em Cuiabá no Mato Grosso. Ela revela que chegou a ir com a polícia até a cidade. “Procuramos em tudo quanto era lugar. Agora resta a dúvida de saber se ela está bem, se está viva. Eu preciso de uma resposta”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário