DIVULGAR DESAPARECIDOS-UMA LUTA DE TODOS NÓS!

Mais de 200 mil pessoas desaparecem no Brasil por ano,segundo pesquisa realizada pela ONG Movimento Nacional de Direitos Humanos e Ministério da Justiça(dados de setembro/2009).Deste total,crianças e adolescentes representam 5%.Os motivos do desaparecimento podem ser variados:tráfico de seres humanos,rapto de crianças para adoção ilegal,prostituição e exploração sexual infanto-juvenil.Para a polícia,porém,as causas apontadas acima são minoria.Muitos se perdem ou fogem de casa por causa da violência ou alguma deficiência mental.Ajude a diminuir a dor dessas famílias,divulgando fotos de desaparecidos.Uma luta de todos nós!

domingo, 27 de maio de 2012

Famílias de desaparecidos têm esperança renovada



Programa de envelhecimento de imagens traz esperança

 a famílias que tiveram filhos desaparecidos há anos



Segunda-feira faz um ano que o pequeno Nicolas Fuzaro Mori, hoje com 5 anos, desapareceu do quintal de sua casa, na zona rural de Catiguá, cidade de apenas nove mil habitantes na região de São José do Rio Preto, no interior. O menino, que dormia na cama dos pais, acordou antes deles e saiu para brincar. Uma vizinha chegou a vê-lo sozinho friccionando um carrinho, mas não se deu conta do risco de fuga.  Desde aquele dia, a mãe, Sibrian Mori, de 30 anos, enfrenta uma busca sem fim.
“Todos os dias estamos à espera de um milagre. O que nos dá força para continuar a luta é a fé e a esperança de encontrá-lo”, diz ela, que nesta sexta-feira veio a São Paulo participar de solenidade na Câmara Municipal pelo Dia Internacional da Criança Desaparecida.
Sibrian é uma das 9.975 mães que no ano passado tiveram filhos com até 18 anos misteriosamente desaparecidos no estado. O número corresponde a 43% do total de pessoas sumidas. Em muitos casos, principalmente os de crianças com menos de 10 anos, a busca pode ser eterna e a única referência da família para encontrá-los é uma foto da época, o que torna ainda mais difícil a localização à medida em que os anos passam. Mas nesta sexta-feira o governador Geraldo Alckmin trouxe uma luz no fim do túnel às famílias desses jovens ao anunciar a implantação de um programa computadorizado de envelhecimento de imagens, com recursos em 3D, que permite projetar a aparência real ano a ano.
Para Ivanise Esperidião da Silva, presidente da ONG Mães da Sé, tudo que ajuda nas buscas é válido, mas de nada adianta ferramentas se o foco principal do problema não for resolvido.
Ivanise se refere aos conflitos familiares que são as principais causas do desaparecimento de adolescentes entre 14 e 18 anos. Segundo o delegado Sergio Marino, a pressão familiar em relação a estudos, namoro e os questionamentos atípicos dessa fase motivam as fugas. Porém, nesses casos, os índices de localização chegam a 80% .
CADASTRO NACIONAL / Uma das grandes cobranças de famílias e ONGs envolvidas na busca de crianças desaparecidas é a falta de um cadastro nacional para facilitar a interligação de informações.
“Cada estado tem seu sistema e eles não se comunicam, apesar dos esforços que vêm sendo feito”, comenta o delegado.
Marino acredita que o programa implantado em São Paulo vai facilitar as investigações de casos mais antigos, que não puderam ser encerrados.
Segundo o delegado, é fundamental que toda a criança a partir de 2 anos tenha carteira de identidade para que suas digitais fiquem cadastradas e, em caso de desaparecimento, possam ser confrontadas com a de outras que chegam sem identificação em hospitais, creches e abrigos.
Essa é uma das razões de a polícia bloquear imediatamente a carteira de identidade de quem desaparece. “Caso o adolescente seja parado em blitz ou utilize o documento ele será identificado e as informações confrontadas com o banco de dados das delegacias”, afirma o delegado. “Os pais precisam orientar  filhos. sobre risco. Mas quase ninguém faz isso porque acha que nunca acontecerá com ele.”
Como prevenir desaparecimentos
Para os pais
Vigie o filho em locais movimentados
Acompanhe-o ou peça a um amigo para acompanhá-lo ao banheiro
Leve e busque seu filho em festinhas e em outros programas
Quando for pegá-lo, chegue na hora combinada
Informe na escola ou locais que ele frequenta o endereço e os telefones da família
Oriente a escola a nunca liberar seu filho sem autorização
Tire o RG de seu filho assim que ele fizer 2 anos para que as autoridades tenham o registro
Ao chegar a um evento, mostre a ele quem são as pessoas que fazem a segurança (policiais, vigias ou seguranças) para que peça ajuda se precisar
Combine pontos de encontro em caso de perda
‘Incerteza dói na alma’
“Faz 16 anos e cinco meses que a minha filha, Fabiana Esperidião da Silva, desapareceu a 120 metros de casa, quando brincava. Na época, ela tinha 13 anos. Desde aquele dia, eu não vivo mais, apenas tento sobreviver. A incerteza de não saber o que aconteceu chega a doer até na alma. Quando um filho morre, apesar de todo o sofrimento, você vive o luto real e, com o tempo, acaba se acostumando com a ausência. Mas, no meu caso, vivo um luto inacabado porque não enterrei a minha filha. Têm dias que a saudade aperta mais, a dor sufoca. Nessa ocasiões fico enrolando no escritório para não voltar para casa e não ter de olhar o nada. O vazio que sinto é como se alguém tivesse arrancado uma parte do meu corpo e, por mais que tente, ninguém consegue repor. Ela desapareceu em 23 de dezembro de 1995 e eu nem percebi que era Natal. Nunca mais consegui comemorar essa data. No ano passado, eu acho que vivi um dos piores momentos de minha vida. Acordei em 23 de dezembro em desespero e com tudo doendo no meu corpo, na minha alma. Estava tão angustiada que me sentei na mesa com uma calculadora e fiquei contabilizando quantos dias esses 16 anos representavam, quantas horas, quantos minutos. Quando vi o total dos números, a agonia aumentou ainda mais porque ninguém pode passar tanto tempo sem ter uma notícia, uma pista qualquer.”
Ivanise Esperidião,mãe de criança desaparecida e presidente da ONG Mães da Sé
São Paulo faz parceria com ONGs para buscasUma delas é o Projeto Caminho de Volta, da USP, que utiliza tecnologia de ponta e um banco de DNA para confronto de informações com pessoas localizadas.
9975 
crianças e jovens sumiram em 2011
Decreto cria Dia Estadual da Criança Desaparecida

Para conscientizar a população, o governador Geraldo Alckmin assinou

 decreto que torna 25 de maio o Dia Estadual  Criança e do Adolescente

 Desaparecidos





FONTE:




Nenhum comentário:

Postar um comentário